O Garoto Do Pudim

Cliquem na imagem abaixo e vocês serão redireccionados para a página, vale super a pena, confiram:

 O Garoto Do Pudim

Lendas canadenses

Quem é vivo sempre aparece e aqui estou eu. Bem... estou no Canadá e aproveitando o embalo vou postar algumas lendas canadenses. xoxo
 
Cabbagetown’s Underground Alien Base

Rumores dizem que uma área ao longo da rua Parliament é o lar de uma base alienígena subterrânea. Vários relatos sugerem efeitos magnéticos que levam a um grande número de acidentes na área, e uma reportagem de jornal de 1970 conta a história de um homem que afirmava encontrar um ser estranho em um pequeno túnel na área ao olhar para seu gato. De acordo com o relatório, o homes diz ser um humanóide de três pés de altura advertiu o homem a "sair" antes de ser lançado a mais de metro. A história dos túneis nunca foi confirmada, embora os rumores de efeitos magnéticos que levam a acidentes foi desmascarado.


Lake Ontario’s Own Nessie 

Várias histórias surgiram de uma criatura marinha gigante que nada as águas do Lago Ontário. Sightings remontam séculos, a partir da tribo do Seneca First Nations de uma serpente gigante que podia voar. Relatos posteriores ocorreram em torno do Lago Ontário, embora tenham sido descontroladamente inconsistente. Na década de 1880, algumas testemunhas afirmaram ter visto uma serpente de 50 pés de comprimento azul-cinza no lago perto de Fort Iorque antes de nadar fora para as profundezas. Tal como acontece com o monstro de Loch Ness, isso nunca tenha sido confirmado ou negado.


The Ghost of Old Finch Road

Histórias do fantasma de uma menina assassinada assombrando uma ponte sobre a estrada Morningside há décadas. Segundo alguns, uma jovem foi assassinada há anos e se você cantar parabéns para a mesma, você pode ouvir a menina gritar ou chorar. Pichações na área, por vezes, faz alusão à lenda, como "Happy Birthday" rabiscado na área.



The Haunted Don Jail

Existem várias histórias sobre a assombrações em uma prisão que foi o local de alguns enforcamentos de prisioneiros e outras mortes. Sugere-se que prisioneiros na prisão ouviam o som de um saco de pancadas ser atingido por uma força invisível em 2005. Outros falam da aparição fantasmagórica de uma mulher irritada na rota principal da prisão, supostamente pertencente a um prisioneiro do sexo feminino que havia se enforcado no ano de 1890.



Bons Pesadelos

The centipede human 2 (A centopeia humana 2)

Se você já assistiu ao primeiro e considera-o um filme nojento então acho que você não vai querer assistir ao segundo. Se com o primeiro você sentiu náuseas,vomitou ou passou mal definitivamente  NÃO assista a esta sequencia.  


Martin Lomax (Laurence R. Harvey) é um britânico asmático, gordo, de baixa estatura e doente mental de meia idade. Ele vive num pequeno flat com sua mãe (Vivien Bridson) que o maltrata, e trabalha como vigia de uma garagem de subsolo. Seus vizinhos tocam punk rock em alto volume dia e noite, e Martin frequentemente espia os ricos que deixam seus carros na garagem. Seu psiquiatra Dr. Sebring (Bill Hutchens), explica que Martin foi abusado sexualmente pelo pai, que está preso.
Num contexto de meta narrativa, Martin é obcecado pelo filme The Human Centipede (First Sequence), assistindo-o repetidamente em casa e no trabalho. Em determinado momento, assistindo o filme, Martin se masturba com uma lixa em volta de seu pênis. Ele tem uma centopeia de estimação e tem uma cópia do roteiro do filme, além de várias figuras e recortes.
 
Quando sua mãe destrói essa coleção, Martin esmaga o crânio dela e coloca o corpo sentado em uma cadeira na cozinha. Ele decide então recriar o experimento fictício visto no primeiro filme. Entretanto, por nunca ter tido treinamento médico, ele junta as ferramentas domésticas que tem à mão e as coloca numa maleta, e prepara um armazém abandonado, escuro e sujo para seu experimento médico. Mas Martin não quer somente criar uma centopeia com três pessoas, mas a "sequência completa" com doze.
Ele telefona para os três atores do primeiro filme, se passando por um agente de Quentin Tarantino, e tenta os trazer para Londres. Apenas um deles, Ashlynn Yennie (interpretada por ela mesma, outro elemento da meta narrativa) o faz. Entre as outras vítimas de Martin estão um vizinho, um vendedor de seguros, um casal de namorados, uma prostituta e um homem e sua esposa grávida — cujo primeiro filho, que está chorando, é deixado carinhosamente no carro por Martin.
Quando Martin captura suas vítimas, ele tenta seguir os procedimentos mostrados no primeiro filme, e começa cortando os tendões de seus joelhos para que elas não fujam. Ele usa um martelo para quebrar cada um de seus dentes, os retirando com as próprias mãos para que elas não engasguem com o sangue e eventualmente tentem cometer suicídio. Ele abre as nádegas de onze das vítimas com uma faca e usa um grampeador elétrico para costurar a face de um ao ânus do outro. 
Martin escolhe Ashlynn para ser a primeira da centopeia, de modo que ela não precise ingerir as fezes dos outros. No final apenas dez pessoas formam a centopeia, já que três morreram. Martin obriga Ashlynn a comer ração de cachorro, enfiando um cano em sua garganta com um funil, e vai ficando cada vez mais sexualmente excitado com o desespero de sua centopeia humana. Ele faz com que cada vítima tome laxante para acelerar o processo de defecação.


Sem que Martin perceba, a mulher grávida, que ele acreditava estar morta, retoma a consciência e foge correndo para o carro. Martin vai atrás, mas ela consegue ligar o veículo ao mesmo tempo em que dá à luz ao bebê, que acaba morrendo com sua cabeça prensada pelo acelerador. Martin chora. Dentro do galpão, um dos homens consegue arrancar sua boca do ânus daquele que estava à sua frente, e a centopeia se divide em duas. Quando Martin retorna, ele fica com raiva e começa a matar cada um com um tiro na cabeça, até que suas balas acabam e ele passa a degolar os restantes com uma faca. Ashlynn, a cabeça da centopeia, ainda consegue agredir Martin e colocar sua centopeia de estimação dentro de seu ânus através do funil.






ALERTA DE SPOILER 
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
- Na minha opinião o fim deste filme foi decepcionante, já que termina deixando uma dúvida nas pessoas e essa dúvida é " Será que isso tudo não passou de um sonho imaginado por um louco ou isso foi somente o planejamento de algo que Martin pretende botar em prática?"

The centipede human (A centopeia humana)

The centipede human (A centopeia humana) é um filme tosco,nojento mas GENIAL.

O filme conta a história de um médico alemão que é renomado por obter sucesso em suas cirurgias de separação de gêmeos siameses e  que  acaba sequestrando três turistas e os une cirurgicamente, boca ligada ao ânus, formando uma centopeia humana. Com o sucesso da operação, o médico começa a treinar a centopeia, enquanto tenta escondê-la do resto do mundo.













ALERTA DE SPOILER
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
- No começo do filme "The centipede human 2" que da sequencia a este mostra que tudo o que acontece neste primeiro filme não passa de um filme, ou seja, The centipede human é simplesmente um filme dentro de um filme. o.O

A Lenda Do Santo Graal


É uma lenda que atribui poderes divinos a um cálice sagrado, que teria sido usado por Jesus na última ceia. Essa, porém, é uma versão medieval de um mito que surgiu muito antes da Era Cristã. Na Antiguidade, os celtas - povo saído do Centro-Sul da Europa e que se espalhou pelo continente - possuíam um mito sobre uma vasilha mágica. Os alimentos colocados nela, quando consumidos, adquiriam o sabor daquilo que a pessoa mais gostava e ainda lhe davam força e vigor. É provável que, na Idade Média, tal história tenha inspirado a lenda "cristianizada" sobre o Santo Graal. 
 
Na literatura, os registros pioneiros dessa fusão entre a mitologia celta e a ideologia cristã são do século 12. "As lendas orais migraram para textos de cunho historiográfico, desses textos para versos e dos versos para um ciclo em prosa", diz o filólogo Heitor Megale, da Universidade de São Paulo (USP), organizador do livro A Demanda do Santo Graal, que esmiúça esse tema. Ainda no final do século 12, o escritor francês Chrétien de Troyes foi o primeiro a usar a lenda do cálice sagrado nas histórias medievais que falavam sobre as aventuras do rei Artur na Inglaterra.

A partir daí, outros autores, como o poeta francês Robert de Boron, no século 13, reforçaram a ligação entre os mitos do cálice e do rei Artur descrevendo, por exemplo, como o Santo Graal teria chegado à Europa. Foi Boron quem acrescentou um outro nome importante nessa história: o personagem bíblico José de Arimatéia. Nos romances de Boron, Arimatéia é encarregado de guardar e proteger o Santo Graal. Apesar das várias referências cristãs, essas histórias não são levadas a sério pela Igreja Católica. "O cálice da Santa Ceia tem o valor simbólico da celebração da Eucaristia. Já seu poder mágico é só uma lenda", diz o teólogo Rafael Rodrigues Silva, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Poderosa ou não, o fato é que essa relíquia cristã jamais foi encontrada de fato.
 
A jornada do cálice Romances medievais contam que, de Jerusalém, ele teria sido levado para a Inglaterra.

1. Em Jerusalém, durante a última ceia com os 12 apóstolos, Jesus Cristo converte o pão e o vinho em seu corpo e seu sangue - esse sacramento, denominado Eucaristia, é um dos pontos máximos dos rituais cristãos. O cálice usado por Cristo nessa ocasião é o chamado Santo Graal
2. Após a última ceia, Jesus é preso e crucificado. Um judeu rico que era seu seguidor, José de Arimatéia, pede autorização para recolher o corpo e sepultá-lo. Antes, porém, um soldado romano fere o corpo de Cristo para ter certeza de sua morte. Com o mesmo cálice usado por Jesus na última ceia, José de Arimatéia recolhe o sangue sagrado que escorre pelo ferimento
3. Após sepultar o corpo de Cristo, José de Arimatéia é visto como seu discípulo e acaba preso, sendo recolhido a uma cela sem janelas. Todos os dias uma pomba se materializa no local e o alimenta com uma hóstia. Mesmo após ser libertado, Arimatéia decide fugir de Jerusalém e ruma para a atual Inglaterra na companhia de outros seguidores do cristianismo. Ele cruza a Europa levando o Graal.


4. José de Arimatéia funda a primeira congregação cristã da Grã-Bretanha, onde se localiza a atual cidade de Glastonbury. Nos romances medievais, nessa mesma região ficava Avalon, o lugar mítico que guardaria depois o corpo do rei Artur. Arimatéia prepara uma linhagem de guardiães do Santo Graal, pois o cálice dá superpoderes a quem o possui. Seu primeiro sucessor nessa missão é seu próprio genro, Bron
5. Com o tempo, o Santo Graal e seus guardiães se perdem no anonimato. Quem tenta reencontrar o objeto é justamente o rei Artur, que tem uma visão indicando que só o cálice sagrado poderia salvar sua vida e também o seu reino de Camelot - que ficaria onde hoje há a cidade de Caerleon, no País de Gales. Leais companheiros de Artur, os cavaleiros da Távola Redonda saem em busca do cálice, sem jamais encontrá-lo.

Monarca fictício Histórias sobre o rei Artur se popularizaram no século 12. A cultura celta foi o ponto de partida não só do mito sobre o cálice sagrado, como também do personagem que tornou o Santo Graal popular no mundo inteiro. A criação do lendário rei Artur pode ter sido inspirada num homem de verdade, um líder celta, que teria vivido na Inglaterra por volta do século 5. Mas foi só a partir do século 12 que os primeiros textos com as aventuras de Artur e sua busca pelo Graal fizeram sucesso.
Formas imaginárias O objeto já foi descrito das mais diferentes maneiras.

 Simples e redondo
A primeira vez que ele aparece num romance medieval é em Le Conte du Graal ("O Conto do Graal"), do francês Chrétien de Troyes, no século 12. Ele é descrito não como um cálice, mas como uma tigela redonda e simples.
Luxuoso e talhado
Em outros textos, que permanecem de autoria desconhecida e são datados entre os séculos 12 e 13, o Graal aparece na forma de um cálice bastante luxuoso, talhado em 144 facetas incrustadas de esmeraldas.
Divino e intocável
Em The Queste Del Saint Graal ("A Busca do Santo Graal"), texto do século 13 creditado ao francês Robert de Boron, o cálice é descrito como um objeto divino sem forma. Somente alguém puro e casto poderia tocá-lo.
 

Lua sangrenta poderá ser vista nessa madrugada

 
Quem está no Brasil e em outros países da América do Sul e do Norte poderá acompanhar, nessa madrugada, o esperado fenômeno da Lua Sangrenta. A lua, que estará cheia, passará por um eclipse total, que terá duração de 78 minutos, e que poderá deixar nosso satélite natural com uma coloração avermelhada (daí o apelido de Luas Sangrenta).
 Conforme pesquisadores, esse é um fenômeno tão raro e a previsão é que que aconteça somente mais sete vezes ao longo deste século! A última vez que foi registrado foi em dezembro de 2011.
 
 
De forma geral, o eclipse lunar total ocorre quando a Terra, a Lua e o Sol ficam perfeitamente alinhados, fazendo com que a Lua seja coberta pela sombra de nosso planeta. O tom avermelhado, por sua vez, acontece quando a Terra espalha a luz vermelha do Sol sobre a Lua. Isso só é possível por causa da constituição da superfície terrestre, que contém partículas mais rubras, como as vulcânicas. 
Além do continente americano, a Lua de Sangue dessa madrugada poderá ser vista, parcialmente, no Pacífico ocidental e em partes da Europa e da África. No Brasil, o fenômeno começará por volta das 3 da manhã, mas poderá ser observado das 4h46 às 5h24, segundo o horário de Brasília. 
Outro detalhe especial dessa madrugada é que, juntamente com o eclipse, Marte também estará visível. O planeta vai estar mais próximo da Terra e alinhado com a Lua.